Era uma vez um carro dourado que andava sempre a viajar.
O carro dourado adorava passear nas estradas cinzentas, de competir com o vento, mas o que ele mais gostava era de ver a paisagem sempre a mudar do verde dos prados, ao castanho dos campos…
O carro dourado era muito feliz, até que os anos foram passando e aos poucos foi perdendo a força!
Aos poucos os seus pneus e o seu motor foram-se cansando e desgastando, até que um dia, o carro dourado quis passear, mas não conseguiu!
Por muito esforço que fizesse, não conseguia sair do lugar onde os seus donos o tinham estacionado.
O carro dourado estava velhinho e permaneceu ali parado.
Os dias e os meses foram passando, e o carro dourado sentia-se muito triste porque não podia voltar a competir com o vento, já não podia ver as paisagens a mudar e por isso chorou!
O verão passou sem conseguir animar o carro dourado. O Outono e o Inverno apenas o tornaram mais triste!
Até que um dia chegou a amiga Primavera e com ela, pequenas flores começaram a nascer por debaixo do carro.
Como as flores, outros pequenos animais foram-se aproximando do carro dourado e aperceberam-se que o seu amigo não sorria e estava sempre a olhar trsitemente para o horizonte longínquo.
Uma joaninha mais estrovertida sentiu pena daquele carro que, apesar da sua cor dourada como o sol, não brilhava e decidiu perguntar-lhe…
-“ Carro dourado, porque estás tão triste?”
O carro dourado olhou para a pequena joaninha que tinha pousado no seu capo e respondeu-lhe:
- “Sabes joaninha, tal como tu, há muito muito tempo, eu viajava para todo o lado, competia com o amigo vento e adorava ver as paisagens sempre a mudar. Um dia o meu motor não aguentou mais e parou…estava velho e nunca mais saí daqui deste mesmo lugar!”
A joaninha levantou voo e começou a esvoaçar à volta do carro que a olhava desconfiado.
- “ Oh ! Carro, já reparas-te nas flores e nos pequenos animais que vivem debaixo de ti?” – Perguntou a joaninha.
- “ Sim, mas o que é certo é que eu já não posso andar, e por isso estou triste!” – respondeu o carro dourado de novo a chorar!
-“ É verdade que já não podes andar carro dourado, mas já te deste conta de que te tornas-te no abrigo dessas flores e desses animais que vivem e sobrevivem apenas porque estão debaixo de ti?” – disse a joaninha com um grande sorriso – “Tu agora és a única casa que eles têm?”
Naquele momento, o carro apercebeu-se de que afinal de contas, ele era muito importante para aqueles animais e para aquelas flores.
Desde esse dia, o velhinho carro dourado cuida de todos aqueles que o procuram em busca de abrigo e de um lugar que os proteja.
Desde esse dia, o velhinho carro dourado, apesar de já não poder viajar, sabe que a sua missão é proteger todos os seres e isso faz dele um carro dourado velhinho…mas muito feliz!
 
Andreia Guerreiro
publicado por Khayma às 10:31